Actualidade Artigos

A secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Catarina Marcelino, tomou a palavra no aniversário da CIG para enaltecer a resiliência de quem trabalha em prol da igualdade, nomeadamente as ONG’s que puseram este tema na agenda política, e apelando a que caminhemos todos até à igualdade, cuidando o futuro.
49

Quioto, Japão 30/10/2016 Chovia-se; esvaziava-se de frio em Quioto… Cedo, porém, se apercebeu do quão serena isso a tornava… Crescera céptica e cínica em relação a um...

De repente os tablets, os telefones, as consolas e os computadores são bichos maus, e o que é saudável é deixar os meninos correr descalços e brincar na lama. E por que é que não podemos fazer tudo isto? Por que é que a evolução causa tanta aversão? Por que é que em vez de resistirem, as pessoas não se ajustam e selecionam?

No 40º aniversário da CIG, foi homenageada Maria de Lourdes Pintasilgo, a primeira portuguesa a “ocupar um espaço público e político até então apenas conjugado no masculino”. Segundo Maria João Seixas, Margarida Santos, Maria Paula Barros e Maria de Belém Roseira, “cumplicidade”, “salto quântico” e “cuidar” são as três expressões que podem resumir o pensamento e a acção de Maria de Lourdes Pintasilgo, que esteve na origem da Comissão da Condição Feminina, e que continua a convocar-nos para a luta pela igualdade e para a conquista dos direitos das mulheres.
PUB

Ela estava mesmo a pedi-las, não era? Realmente nós mulheres somos cá umas frescas, gostamos de sair à noite com pessoas que até conhecemos, gostamos de beber um copo, pôr maquilhagem, usar lingerie rendada e ainda achamos que só podemos fazer sexo com quem consentimos! Onde é que já se viu tamanha liberdade?

Nunca a tinha ouvido falar assim. Nunca tinha falado com ela sobre filhos. Percebi que precisava de continuar a conversa. Perguntei-lhe apenas se estavam a pensar ter filhos. Os olhos ficaram marejados de lágrimas. “Há quatro anos. Tentamos há quatro anos e nada… Choro sempre que o período chega. O Rui diz que é do stress, que temos de deixar de estar tão concentrados nesta ideia. Começo a achar que pode virar obsessão… E não quero ir a médico nenhum. Não quero ouvir que não podemos engravidar.

Posso ser jovem mas já tenho muita noção das coisas, muito mais noção que muitos adultos! Não é preciso ganhar nenhum "Prémio Nobel da Inteligência" para entender o mundo em que vivo e fico cada vez mais triste com as notícias que leio nos jornais, como a da violência doméstica deixar de ser crime num país dito civilizado! Porque é que as mulheres têm que servir como “moeda de troca” em guerras geradas por homens, sendo raptadas, violadas, mortas, sem que tenham qualquer culpa pelo que aconteceu? Quantas mulheres continuarão a ser obrigadas a casar com homens de quem não gostam?

O Sindicato dos Jornalistas – que começou como Sindicato Nacional de Jornalistas – existe desde 1934 e, na atualidade, tem uma mulher como presidente. Apenas a segunda em tantos anos de vida.
73

Anália Torres, socióloga e feminista, herdou o nome da avó que lhe ensinou as coisas mais importantes que aprendeu na vida. Nesta entrevista ajuda-nos a perceber a origem das desigualdades entre homens e mulheres e o caminho a percorrer para que se dissipem. Um luxo e um prazer, ouvi-la.
3031

Entrevistas Destaques

  1. Porque te amas?
Amo-me já aceitei que não temos de ser perfeitas para sermos felizes.  
  1. Já qu...

ULTIMAS CRÓNICAS

A secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Catarina Marcelino, tomou a palavra no aniversário da CIG para enaltecer a resiliência de quem trabalha em prol da igualdade, nomeadamente as ONG’s que puseram este tema na agenda política, e apelando a que caminhemos todos até à igualdade, cuidando o futuro.
49

Quioto, Japão 30/10/2016 Chovia-se; esvaziava-se de frio em Quioto… Cedo, porém, se apercebeu do quão serena isso a tornava… Crescera céptica e cínica em relação a um...

De repente os tablets, os telefones, as consolas e os computadores são bichos maus, e o que é saudável é deixar os meninos correr descalços e brincar na lama. E por que é que não podemos fazer tudo isto? Por que é que a evolução causa tanta aversão? Por que é que em vez de resistirem, as pessoas não se ajustam e selecionam?

No 40º aniversário da CIG, foi homenageada Maria de Lourdes Pintasilgo, a primeira portuguesa a “ocupar um espaço público e político até então apenas conjugado no masculino”. Segundo Maria João Seixas, Margarida Santos, Maria Paula Barros e Maria de Belém Roseira, “cumplicidade”, “salto quântico” e “cuidar” são as três expressões que podem resumir o pensamento e a acção de Maria de Lourdes Pintasilgo, que esteve na origem da Comissão da Condição Feminina, e que continua a convocar-nos para a luta pela igualdade e para a conquista dos direitos das mulheres.

Crónicas Destaque

Esperam que sejas magra. Atlética. Que corras todos os dias. Ou dia sim, dia não, vá. De depilação feita e unhas coloridas. Que faças bolos ao sábado. E que não tenhas as raízes do cabelo por fazer. Esperam que te comportes bem e que nunca bebas um copo a mais para não caíres em figuras ridículas. Que nunca sejas daquelas que urina entre dois carros, no meio do Cais do Sodré.

A partir do momento em que viram o meu corpo inerte, ninguém perguntou onde estava o filho da puta que acabou com os meus sonhos, as minhas esperanças, a minha vida. Não, preferiram começar a fazer-me perguntas inúteis. A mim, podem imaginar? Uma morta, que não pode falar, que não se pode defender. Que roupa estava a usar? Porque é que estava sozinha? Porque é que uma mulher quer viajar sem companhia?

Carol perdoa-lhes: acham que podem opinar sobre o teu decote, sobre o teu peito. Acham que têm o direito de te dizer o que podes ou não vestir #nomeudecotemandoeu

Gostava de saber se viste o filme. Ou se tens um filho homossexual que, desde jovem, tenha lutado, interiormente, com o não saber o que é, com o ser humilhado na escola, e o não entender os sinais. Pergunto-te se ser preto e gay é algo que se possa sobrepor a, simplesmente, ser-se bom. Se Bob Dylan fosse gay ias achar a mesma graça à atribuição do Nobel. Ou se o Nobel fosse entregue a… Miles Davis, de quem gostas tanto.

Ultimos Artigos

Este evento tem por objectivo promover uma reflexão crítica sobre corpos, políticas sexuais e relações de poder, num espaço transnacional alargado, a partir das perspectivas fornecidas pelas teorias contemporâneas sobre género, sexo e sexualidades.

André Chaves (Miguel Guilherme) é um homem sério, de conduta irrepreensível e reputação imaculada: advogado conceituado, marido fiel, pai de dois filhos. Daí a sua total incredulidade quando, certo dia, acorda nu na sua sala de estar, deitado ao lado de outro homem (Jorge Mourato), também ele nu, sendo o último um dos associados da firma de advogados onde trabalha há anos. Saídos de uma espécie de blackout, ambos têm dificuldade em perceber o que aconteceu e nenhum consegue arranjar uma explicação para o sucedido, tampouco lembrar-se do que os poderá ter levado ali. O transtorno aumenta com a entrada em cena da mulher de Chaves (Sandra Faleiro). Perante a total incapacidade de justificar e compreender a sua presente situação, André Chaves vai inventar tudo para tentar salvar o seu casamento.
219

Tiago Palma estava convicto de que iria ser absolvido. Tanto que, no dia da leitura da sentença, levou um saco de ginástica para o tribunal, pois planeava ir treinar logo a seguir. Os planos saíram-lhe tragicamente furados: foi condenado a 18 anos de prisão porque teria integrado um grupo de skinheads que espancou um homem até à morte.

Artigos Mais Vistos

Esta história é real, faz doer o coração, faz-nos sentir vergonha alheia, vergonha de nós próprios e do mundo. Esta é uma história sem um final feliz. A personagem principal é Amanda Rodrigues, de 19 anos, que nunca chegará a festejar os 20 porque morreu no passado dia 17 de janeiro. Perdeu a vida porque queria que as pessoas gostassem dela.

Jovem, 25 anos, com mestrado, com licenciatura, com formação profissional, a frequentar pós-graduação, com experiência, extremamente motivada para pôr “as mãos à obra” e disposta a receber pouco por isso, até mesmo a ser um bocadinho explorada (mas atenção, nada de exageros!). Aparentemente são características que os empregadores procuram, certo?

do Autor/a da Criada Malcriada
13821