FUI E NÃO VOLTO

2190

Como tu sabes, eu decidi que não iria esperar. Cansei-me de não existir. Foi tempo demais a esperar por algo que não iria evoluir. Esgotei as minhas palavras. Terminou a dose que tinha de paciência. É tempo de enfrentar a realidade e seguir viagem.

Tu conheces-me, por mais que digas que não me dou a conhecer. Sabes o que sinto e o que sou capaz de fazer em nome deste sentimento. Gastei horas, semanas e meses a mostrar-te o que sentia. A escrever paixão nos teus dias de indiferença. Não reagiste. Não te exprimiste.

Agora vou partir!

Vês aquela porta? A mala está feita e a porta está aberta. Apenas me virei para trás para te dizer ” adeus, até sempre “. Não sorrias com esse sorriso sem cor que eu tão bem conheço. A decisão está tomada. Não existe retorno. Tu devias saber que no amor não existe um “até já”. Por isso, eu vou e não volto. Não fiques ali à porta sentado à minha espera porque a minha decisão não tem volta.

Não ensaies lágrimas. Não representes arrependimentos. Tiveste o teu tempo e não o soubeste aproveitar. Agora, entende, é tarde. O meu coração esgotou o tempo que tinha para ti. Não soubeste agarrar o momento, agora ficas com o lamento nas tuas mãos.

Confesso-te, vou ter saudades tuas. Saudades do meu amor por ti. Confesso-te, que já as sinto. Que vão comigo nesta viagem. Vou ter saudades dos sonhos que alimentei durante todo este tempo. Aqueles sonhos que aos poucos foram desfalecendo e que acabaram por me implorar para partirmos. Os sonhos com que eu construía as ilusões que tu apagavas. A luz para o nosso futuro que tu todos os dias desligavas.

Sim, acredita, vou partir!

Apesar de ainda continuar apaixonada por ti. O amor ainda não morreu. Mas a tua indiferença suicidou o desejo que o poderia manter vivo. Não me digas que estou a ser injusta. Não me peças uma segunda oportunidade. Tu, sempre atropelaste os nossos desejos. Não queiras agora curar as minhas feridas. Não foste o amante, por isso, não te ofereças para ser o enfermeiro da minha dor.

Deixa-me ir, a porta está aberta e vou sair.

Nada mais resta da história que não vivemos. Não tenho jóias para te devolver porque não existem presentes que me tenhas dado. Não ficam fotos para mais tarde recordares porque não temos momentos para serem lembrados. Gastei tempo demais da minha vida para te tentar conquistar. Tu usaste esse tempo para me afastares.

O destino quis que me cruzasse contigo. Tu escolheste outra direcção. Eu vou continuar a minha caminhada. Fica um beijo já frio no tabuleiro que está em cima da mesa da cozinha. A mesa onde nunca partilhámos um jantar romântico. Aqui, à porta, deixou-te um abraço apertado, por saber que vais precisar dele quando descobrires o quanto foste amado.

Este é o momento certo para a despedida.

Mais uma vez, não estás aqui. A vida chamou-te e tu foste a correr. Não pensaste que a tua vida é o que aqui está a acontecer agora.  “Até logo“. Quando voltares e não me encontrares aqui, irás procurar o meu sorriso pela casa toda e apenas irás encontrar o perfume da minha alma. Aquela que se cansou de tanto te esperar.

Vou-me embora. O futuro espera-me. As saudades do passado apertam-me o coração. Levo uma lágrima nos olhos e a bagagem ainda cheia de sonhos.

Está na hora. Adeus amor da minha vida. Tocaste tantas vezes no corpo e  nunca soubeste amar-me de verdade. Agora é tempo de me escapar. Há uma vida lá fora à minha espera. Fui e não volto. Levei comigo a revolta. Ganharei a batalha do esquecimento. A vida quis dar-me o troféu do sofrimento, mas eu não aceito esse presente.