“ONTEM MATARAM-ME”

321049

e3022db4-2034-457f-ab60-cb7af264bc94

Ontem mataram-me.

 

Neguei-me a deixar que me tocassem e com um pau rebentaram o meu crânio. Deram-me uma facada e deixaram-me sangrar até morrer.

 

Como lixo, colocaram-me num saco de plástico preto, enrolada com fita adesiva, e fui largada numa praia, onde horas mais tarde me encontraram.

Ler artigo completo ...