TRINTA POR UMA LINHA (Divulgação)

1711

Existem coisas que não conseguimos explicar. Temos sonhos e ambições, somos seres humanos. Podemos tudo e mais alguma coisa, basta querer, lutar, e ter força, muita força. Dizer não quando se tem de dizer não! Dizer “eu consigo” quando todas as pessoas à nossa volta dizem “não vais conseguir”. Chorar quando se tem de chorar. Rir quando se tem de rir e sorrir, quando mais nos apetece chorar. Mas, principalmente, acreditar que somos capazes. Tudo depende de nós. A nossa vida é isso mesmo, é nossa!
O meu nome é Margarida, tenho 24 anos, sou licenciada em Design de Produto e tenho um sonho: a Trinta por uma Linha. Não, o meu sonho não é casar e ter filhos. O meu sonho é poder fazer aquilo de que gosto, porque quando o nosso trabalho é aquilo que realmente amamos e nos realiza, passa a ser um prazer!

Um dia, em conversa com a Catarina, amiga, colega e companheira de licenciatura, percebemos que estávamos cansadas de ouvir o que o mercado nos dizia: “não estamos a contratar neste momento”, por tentarmos fazer apenas e só aquilo de que gostamos e para o qual estudámos. Outros feedbacks que tivemos, como por exemplo, “pedimos desculpa, mas não tem experiência suficiente” deixaram-nos frustradas e dececionadas com a área empresarial, chegando ao ponto de recorrermos a ofertas de emprego fora da nossa área de atuação e para as quais as respostas eram “tem demasiadas habilitações”. Chega! Parámos, refletimos e com os pés bem assentes na terra, concluímos que não era aquele o caminho, que a vida era muito mais do que isto e, principalmente, nós eramos capazes de criar o nosso próprio projeto, pois afinal acreditamos que é possível fazermos o que realmente gostamos e, ao mesmo tempo, entregarmos uma mais-valia ao mercado. E assim foi! Pusemos mãos à obra e criamos a marca de mobiliário Trinta por uma Linha.
A Trinta é uma marca de mobiliário que se propõe levar Portugal além fronteiras.
O conceito da marca prende-se com a cultura popular portuguesa num sentido global, desde a língua até às suas matérias-primas. Os produtos produzidos pela marca têm como conceito expressões populares portuguesas. O processo é simples: uma expressão traduz-se num objeto, ou seja, é a materialização das expressões populares portuguesas e a capacidade de transformá-las em peças de mobiliário criativas, mas acima de tudo, funcionais. A criatividade, as matérias-primas e a produção, são sempre 100% nacionais.

A Catarina acompanha-me desde o dia em que decidimos abandonar a luta por um qualquer posto de trabalho e fazer aquilo que realmente sabemos e amamos. Juntas, criámos a marca que hoje, apesar de recém-nascida, nos deixa cheias de orgulho.
A viagem é dura, longa e sem fim. Uma aventura constante com muitos contratempos, barreiras e objeções, mas com muitas outras coisas boas que nos têm permitido crescer.
Quando demos por nós, estávamos numa sala de reuniões de uma fábrica a “discutir” a melhor forma de produzir os nossos produtos. Senti-me tão pequenina, mas ao mesmo tempo tão grande. Pequenina porque tive medo, medo de estar errada, de afinal não saber aquilo que estava a fazer. E, senti-me grande quando percebi que afinal nós sabemos o que fazemos e somos boas no que fazemos. Esta determinação foi crucial para continuarmos o nosso caminho com um sorriso nos lábios para aqueles que nos fecharam as portas ou que não nos levaram a sério por sermos jovens recém-licenciadas.

A vontade de fazer a Trinta crescer, levou-nos até à Ana que entrou no projeto, abraçando esta aventura em julho de 2016. Desde então, a Ana tem estado ao nosso lado a cuidar e a fazer crescer a recém-nascida Trinta por uma Linha.

Somos três mulheres com diferentes idades e experiências pessoais e profissionais, lutadoras, determinadas e empenhadas. Apaixonadas pelo que fazemos. Somos acima de tudo uma marca de mulheres para o Mundo.